Gravidez

Quais alimentos podem ter alergias alimentares em bebês e como curá-lo

Pin
Send
Share
Send
Send


Introduza o óleo na isca quando o bebé tiver 5-6 meses de idade. Primeiro - vegetal, e um pouco depois - cremoso. A primeira dose deve ser escassa e caber na ponta da faca, ou seja, deve ser de aproximadamente 1 grama (este é um par de gotas). Além disso, o óleo vegetal é adicionado ao alimento vegetal e de carne (melhor é o azeite, primeiro prensado a frio), e a manteiga é adicionada ao mingau. É importante que no segundo caso se tratasse de produtos feitos a partir de nata (teor de gordura - pelo menos 82,5%). Menos gordos são outro nome - espalhados - e são substituídos por vários aditivos alimentares em sua base natural. Também é importante lembrar que, em uma isca enlatada, o aditivo de óleo será supérfluo: ele já existe na forma da quantidade necessária de gorduras animais e vegetais.
Óleo para crianças e atração.

Por que você precisa de óleo para crianças? Se o seu amendoim comeu alimentos complementares enlatados (adquiridos) - o óleo vegetal já é familiar para ele. Em purês de loja adicioná-lo para melhor assimilado. Portanto, se você mesmo cozinhar um prato de legumes, pode derrubar com segurança uma gota de azeite. Um produto creme vai bem com cereais ricos em amido. Mas você precisa adicioná-lo diretamente à placa, porque no processo de fervura as vitaminas são destruídas, e a partir de ácidos graxos insaturados prejudiciais nocivos saturados são formados.No ano a taxa diária de "óleo" para karapuz será 3-5 gramas. Mas a margarina e outras "leveza" (spreads) são contraindicadas em bebês.

Escolhendo o primeiro óleo vegetal para crianças, é melhor ficar em azeite. Tem quase tantos ácidos graxos como o leite materno. Com o tempo, pode começar a alternar com o girassol e o milho. E mais perto de dois anos, também dão colza e soja. Eles fazem parte da loja de purê de batatas em conserva. Mas comprar tais alimentos deve sempre verificar a composição para a presença de OGMs.

Azeite e outros óleos para crianças desempenham um outro papel importante - fornecendo o corpo com colesterol. Em pequenas quantidades, é simplesmente necessário porque participa da síntese de hormônios esteróides e a produção de vitamina D, e também faz parte da membrana celular, é necessária para uma série de processos digestivos. Ou seja, sem colesterol, o desenvolvimento do bebê, incluindo o intelectual, pode ser prejudicado. Mas, novamente, é necessário aderir estritamente às normas estabelecidas, uma vez que o “derrame de óleo” no fígado e no pâncreas pode ser muito tangível. Além disso, você precisa adicioná-lo cuidadosamente a crianças com intolerância à proteína da vaca.

Óleo vegetal para crianças. Este produto contém vitamina E, bem como ácidos graxos insaturados que o corpo humano não pode produzir por conta própria. Entretanto, tais compostos são necessários para a retina e o funcionamento do sistema nervoso. Portanto, a criança adulta deve ser ensinada o mais cedo possível a saladas de legumes frescos, temperados com azeite de oliva (girassol, milho, soja). E pode ser adicionado a purê de legumes e sopas. Também é ótimo para cozinhar alimentos fritos, uma vez que o tratamento térmico não é perigoso para ele e não são liberados agentes cancerígenos prejudiciais ao organismo. Mas, é claro, o frito não aparecerá no cardápio do seu filho até que tenha um ano de idade.

Introduza a manteiga na isca. É necessário introduzir a manteiga feita de creme na isca de maneira oportuna e obrigatória. Além disso, quando chega a hora, deve estar presente no menu do seu filho todos os dias (claro, em pequenas doses), fornecendo ao corpo as vitaminas A, B, C, D, E e K, cálcio, fosfolipídios, aminoácidos. Se o óleo vegetal de crianças se oferecer em 5-6 meses, então o produto de creme está em 6-7. Seis meses de idade, que comem a mistura - cedo, e aqueles que são amamentados - mais tarde. Se o seu filho sofre de alergias, certifique-se de consultar o seu pediatra antes de introduzir a manteiga nos suplementos. Mas, novamente, dar para o bebê é muito útil. Afinal, é uma fonte de energia, um elemento indispensável, garantindo o bom funcionamento do sistema nervoso, afetando beneficamente a pele, o sistema hormonal, a visão, o cabelo, os músculos e o tecido ósseo. Uma propriedade única de "creme" - sua capacidade de curar feridas e úlceras no estômago e 12 úlcera duodenal. Também normaliza a digestão. Contribui para o tratamento de doenças complexas dos brônquios, doenças de pele, resfriados, tuberculose. Ele protege o corpo jovem de infecções, manteiga para as crianças começam a entrar junto com a comida de cereais, isto é, cereais. No início - 2-4 gramas por dia. No ano a taxa é de 5-6 gramas. Com a idade de três anos, o karpuz deve consumir cerca de 15 gramas e, após 4 anos - 25.

Finalmente, repetimos mais uma vez: ao escolher que óleo dar a uma criança, em nenhum caso deve-se comprar um spread. Afinal, este produto contém elementos nocivos ao bebê - aromatizantes, emulsificantes, estabilizantes, aromatizantes ... E é fácil distinguir um produto natural de um substituto: no nível legislativo, é proibido esconder que o spread é um spread.

Causas de alergias

A reação alimentar na maioria das crianças é diagnosticada desde o nascimento. Irritante pode ser um ou vários produtos. Na maioria das vezes, uma reação alérgica se desenvolve no leite de vaca. Os mingaus de leite e outros produtos deste componente são proibidos.

Em bebês, o sistema digestivo é pouco desenvolvido. Sua transformação final vai todo o primeiro ano de vida. A superfície mucosa do intestino é fina e passa facilmente o alérgeno capturado para o sangue.

Os órgãos digestivos não produzem suficientemente enzimas capazes de quebrar alimentos pesados. Proteínas em forma não cozida entram na corrente sanguínea e começam a excitar o sistema imunológico.

Com a idade, a imunidade está ficando mais forte, os órgãos digestivos são finalmente formados e o corpo se torna capaz de superar as alergias. Portanto, se uma alergia foi detectada em uma criança pequena, por exemplo, em produtos como arroz, abobrinha ou sementes, isso não significa que ela irá acompanhá-lo durante toda a sua vida.

Sinais de doença

Alergias alimentares podem se manifestar de diferentes maneiras. Os sintomas aparecem imediatamente após a ingestão do produto ou após algumas horas. A gravidade depende do estado dos órgãos internos no momento em que o estímulo entra no corpo, o estado de imunidade. A duração das manifestações pode ser de várias horas a vários dias.

Ao usar certos produtos (abobrinha, arroz, ameixas secas, sementes), a pele e o sistema digestivo são mais afetados. Sintomas de lesões de pele:

  • vermelhidão de várias partes do corpo,
  • várias erupções,
  • inchaço
  • descamação da área afetada,
  • a formação de crostas secas na cabeça, sobrancelhas, atrás das orelhas,
  • calor espinhoso, assaduras,
  • coceira

Se os órgãos digestivos estão envolvidos no processo alérgico, os sintomas podem ser os seguintes:

  • fezes chateadas (na maioria das vezes diarréia, menos freqüentemente constipação),
  • vômito, regurgitação frequente,
  • anorexia,
  • inchaço, aumento da formação de gases.

Os órgãos do sistema respiratório podem ser incluídos no processo patológico. Os sintomas neste caso são assim:

  • nariz escorrendo com muco aquoso característico, congestão nasal,
  • espirros freqüentes
  • edema laríngeo e tosse,
  • respirar é difícil.

Alergias em crianças para produtos como sementes e arroz, mais frequentemente manifestadas por urticária e angioedema. Os primeiros sintomas podem ser observados imediatamente após a ingestão dos produtos. O rosto e os olhos ficam vermelhos, vômitos e diarréia aparecem, a condição pode ser acompanhada de tosse.

Alergia a ameixas manifesta-se sob a forma de vermelhidão das áreas individuais da pele, náuseas ou até vômitos, diarréia.

Alergias alimentares à abobrinha podem começar com coceira e vermelhidão, vômitos e diarréia. A temperatura do corpo aumenta. Menos comumente, o sistema respiratório é afetado.

Leite e produtos lácteos na maioria das vezes provocam desordens digestivas na forma de vômito, regurgitação freqüente, diarréia, flatulência, erupção cutânea. Mingau de leite também não pode ser dado à criança (milho, arroz).

A reação à manteiga é manifestada por lesões da pele, inchaço das superfícies mucosas, uma desordem no trabalho dos órgãos digestivos e funcionamento prejudicado do sistema respiratório.

O tratamento, em primeiro lugar, começa com a exclusão de produtos que causam manifestações. No processo de exame adicional, você pode estabelecer um irritante específico: sementes, abobrinha, arroz, ameixas ou outros produtos.

Alérgenos comuns

Para determinar quais estímulos causam uma reação em uma criança, você pode usar um procedimento especial em um ambiente hospitalar. Isso eliminará o produto e não provocará sinais desagradáveis.

Alergias alimentares a sementes podem ocorrer devido ao conteúdo de substâncias como albumina e globulina.

Alergias são menos prováveis ​​de ocorrer em sementes de girassol e abóbora. Mas este é o caso se houver grãos na forma crua ou bem seca. Sementes de abóbora podem causar alergias se houver uma reação ao vegetal em si. Se a reação às sementes de girassol se desenvolveu drasticamente, o motivo pode não estar nelas. Pode causar sintomas desagradáveis ​​de óleo vegetal, que estava assando.

Na maioria das vezes, a criança é alérgica a sementes de gergelim. As sementes contêm proteínas, que se tornam uma fonte de irritação. A situação é agravada por várias doenças do fígado, pâncreas e vesícula biliar.

As sementes de linho não são usadas na comida, mas são feitas de óleo. Pratos que foram adicionados óleo de linhaça podem ter efeitos alérgicos graves. Deve ser limitado ou completamente excluído por mulheres grávidas e lactantes. E quanto mais você não pode adicioná-lo aos pratos da primeira comida.

Alergias podem causar ameixas. Na maioria das vezes isso é devido ao processamento inadequado. Cera, glicerina e outras gorduras são usadas para tornar a fruta comercializável. Imunidade enfraquecida e intolerância individual ao corpo também são causas comuns de reações às ameixas.

A alergia às ameixas é rara e ocorre de forma leve, por exemplo, as bochechas ficam vermelhas. Neste caso, você não pode adicionar ameixas durante a cozedura, bem como dar-lhe a criança crua.

Existe um risco de alergia cruzada às ameixas se já houve uma reação à ameixa, cereja, damasco.

Se a criança é amamentada, as ameixas podem ser usadas pela própria mãe, uma vez que o produto é útil para a motilidade intestinal.

A abobrinha é um produto hipoalergênico. É dele que as primeiras iscas começam. Mas às vezes há casos de alergia a abobrinha.

Pode haver várias razões para a reação à abobrinha. Um papel importante é desempenhado pelo fator hereditário. Se pelo menos um dos pais sofrer tal problema, a situação se repetirá com a criança. Ocorre alérgica a abobrinha pode no fundo de uma doença infecciosa ou doenças do sistema digestivo. O risco de desenvolver uma reação aumenta quando o bebê é alimentado com misturas.

Os alimentos de primeira refeição mais comuns são os cereais. Eles podem ser cozidos em vários cereais. Quais cereais são recomendados como primeira alimentação? Os médicos recomendam mingau de milho ou arroz. As causas da alergia a mingau podem ser várias:

  • Proteína de leite de vaca ou cabra
  • Teor de glúten em grãos (cevada, trigo, aveia, centeio)
  • adicionando frutas, frutas secas, vegetais (por exemplo, ameixas secas, damascos secos, abobrinha),
  • adicionando açúcar.

Mingau de leite é melhor deixar para o período em que a criança tem um ano de idade. Enquanto cozinhar, todo o mingau deve estar na água.

O primeiro crupe, que familiariza a criança, deve ser o trigo mourisco. É hipoalergênico porque não contém glúten. Alergias podem ocorrer no trigo mourisco em crianças devido ao conteúdo de proteínas vegetais (globulina, albumina). A reação pode se desenvolver no mingau de trigo sarraceno, que a mãe comeu.

O mingau de milho é recomendado como os primeiros alimentos complementares, uma vez que não contém glúten. Mas também pode causar sintomas desagradáveis. Se você comprou mingau de milho na loja, então alergias podem se manifestar para todos os tipos de aditivos: açúcar, leite, pedaços de algumas frutas. A verdadeira alergia ao mingau de milho ocorre quando o cereal foi cozido em água na casa, sem a adição de manteiga e açúcar.

O arroz pertence a cereais úteis, a partir dos quais você pode preparar pratos deliciosos, como mingau de arroz. Contém muitas substâncias úteis, incluindo vitaminas e oligoelementos. O corpo é enriquecido com carboidratos complexos, que são rapidamente absorvidos pelo corpo, dão energia e força.

Arroz muitas vezes causa alergias em uma criança. Existem várias razões pelas quais isso acontece.

  1. Uma reação indesejável ao arroz geralmente tem uma predisposição hereditária.
  2. Erupção cutânea e outros sinais podem ocorrer devido ao fato de que o arroz é muitas vezes incluído na dieta do bebê. Por exemplo, durante o dia a criança recebeu mingau de arroz e uma mistura de farinha de arroz.
  3. O arroz tem um efeito fixador, a constipação se desenvolve. Como resultado, as toxinas começam a se acumular no corpo, o que causa vários sintomas desagradáveis.
  4. Arroz não contém glúten. Mas em seus grãos uma grande quantidade de proteínas, entre as quais estão as proteínas do pólen.

A manteiga, que às vezes é adicionada aos cereais, também causa respostas indesejáveis. A manteiga é feita a partir de leite de vaca contendo proteínas alergênicas (caseína, lactoglobulina, lactalbumina). Esses componentes não desaparecem nem mesmo durante o tratamento térmico.

Você não pode adicionar aos pratos para crianças menores de um ano e outros tipos de óleos: óleo de palma, espinheiro mar ou óleo de girassol.

As alergias que ocorrem em resposta ao leite em bebês estão associadas à lactose ou proteína. O risco de desenvolver um problema semelhante aumenta se a mãe sofrer desse tipo de alergia ou se houver várias condições patológicas durante o parto (falta de oxigênio do feto, ameaça de aborto, maus hábitos).

Os produtos lácteos raramente causam alergias. As bactérias digerem parcialmente as proteínas e são mais bem absorvidas pelo corpo das crianças. Os produtos lácteos fermentados são mostrados como os primeiros alimentos complementares, mas apenas aqueles que têm um prazo de validade curto.

Também pode desenvolver alergias ao açúcar em bebês. Na maioria das vezes entra no corpo junto com o leite materno. Fator provocativo é a dieta errada de uma mãe que amamenta, baixa imunidade, dysbacteriosis.

Eventos médicos

O tratamento pode ser realizado em três áreas principais: dieta, terapia medicamentosa e imunoterapia específica para alérgenos. A mãe deve manter um diário em que os produtos serão gravados e a reação do corpo da criança a ele. Se o bebê for amamentado, as mudanças devem tocar no cardápio da própria mulher.

Se uma criança é alérgica à proteína do leite de uma vaca, então vale a pena mudar a mistura adaptada usada. O tratamento neste caso é realizado por transferência para uma mistura de leite de cabra.

O tratamento medicamentoso é usado em casos raros, quando a condição da criança afeta seu desenvolvimento. O médico pode prescrever um complexo de drogas.

  • o tratamento começa com tomar anti-histamínicos na forma de comprimidos, gotas, xaropes, cremes, pomadas ("Suprastin", "Fenistil", "Zyrtec"),
  • medicamentos baseados em componentes hormonais ("Dexametasona"),
  • enterosorbents (carvão ativado, "Enterosgel"),
  • agentes de desconforto abdominal (Espumizan, Plantex),
  • o tratamento é acompanhado pela ingestão de preparações enzimáticas (“Creon”, “Festal”),
  • sedativos (valeriana, motherwort).

Alergias podem ser curadas em poucos dias. Se você seguir as recomendações do médico e aderir à nutrição adequada, a alergia ocorrerá no 3º ao 4º dia.

De que idade eles dão manteiga para as crianças?

Manteiga aparece na alimentação de um bebê durante a amamentação aos 8 meses de idade. Os bebês que recebem uma mistura adaptada, tal produto é introduzido na dieta um pouco mais cedo - tão cedo quanto 6 meses. O popular médico Komarovsky recomenda a introdução de manteiga no alimento suplementar não antes de 8 meses depois que a criança se familiarizar com o kefir, queijo cottage e cereais.

O conhecimento da manteiga deve ocorrer depois que a criança tentar legumes, cereais e óleo vegetal. Na maioria das vezes, a manteiga é incluída em alimentos complementares como suplemento ao mingau de cereais, uma vez que não só melhora o seu sabor., mas também tem um efeito positivo sobre a digestibilidade do amido dos cereais. Ao mesmo tempo, adicione óleo ao grub deve ser antes de servir (não cozinhe com grãos, mas coloque no prato já preparado).

A primeira porção de manteiga para bebês é de cerca de 1 grama.Isso corresponde a uma pequena quantidade de produto no final da faca. Com portabilidade normal, a porção do produto é gradualmente aumentada até que seja 1 colher de chá (cerca de 5 g de manteiga).

Como a alergia a manteiga em bebês

Alergias alimentares estão entre os tipos mais comuns de reações alérgicas. Она может развиваться даже у грудничка, который кроме материнского молока пока ничего не получает. В этом случае причина кроется в рационе мамы, требуя его пересмотра и составления специальной диеты .

К числу наиболее сильных аллергенов относят коровье молоко. Contém proteínas que são resistentes a tratamentos térmicos, podem causar alergias, mesmo após o processamento do produto. Então, acontece que uma reação alérgica pode se desenvolver em queijo, leite condensado, manteiga.

Alergia em bebês é bastante brilhante. Algumas horas após a alimentação, ele pode apresentar sintomas como:

  • dor abdominal, cólica,
  • regurgitação frequente
  • indigestão - constipação, diarréia,
  • ansiedade, sono ruim,
  • vermelhidão da pele, comichão, ardor,
  • o aparecimento de uma erupção cutânea na pele.

Naturalmente, essa alergia pode ser a resposta para qualquer produto alimentício, não apenas manteiga. Para entender o que a razão é, uma mãe deve observar sua dieta com muito cuidado.

Para tornar mais fácil para o alérgeno determinar ou confirmar suas suposições, as mães que amamentam são aconselhadas a começar um diário de sua dieta, onde elas notariam quais alimentos eles consomem e que reação o bebê tem depois disso.

Quando um alérgeno foi identificado, deve ser excluído da sua dieta, mesmo que seja manteiga. Claro, é difícil administrá-lo sem ele, porque faz parte de uma variedade de pratos e produtos, mas vale a pena cuidar da saúde do bebê e desenvolver uma dieta especial para você. Substitua a manteiga pode ser girassol ou azeitona. Este último, neste caso, será ainda mais útil.

Quando o bebê já está autorizado a introduzir alimentos complementares, os médicos recomendam começar com vegetais minimamente alergênicos. Ao mesmo tempo, ao fazer purê de legumes, as mães não devem adicionar nada além daquelas obtidas ao cozinhar o caldo de legumes. O óleo pode ser usado um pouco mais tarde, quando o aparelho digestivo da criança fica mais forte, pode processá-lo. Ao mesmo tempo, você precisa adicionar gorduras, começando com o valor mínimo.

Mas, mesmo enchendo um purê de vegetais com uma pequena quantidade de manteiga, a mãe pode notar que a criança começou a mostrar sintomas de alergia. Neste caso, certifique-se de excluir este produto da dieta do bebê, substituindo-o, por exemplo, por óleo vegetal. É imperativo entrar em contato com um médico em tal situação.

Sabe-se que o contato repetido com um alérgeno causa uma reação mais grave e pode representar um risco para a saúde da criança.

Para entender exatamente o que causou a alergia, o médico deve encaminhar a criança ao diagnóstico. Inicialmente, ele precisará doar sangue para análise laboratorial, no decorrer do qual ficará claro se há uma reação alérgica neste caso ou se há uma doença diferente. Em seguida - testes de alergia. Com a ajuda deles, você pode determinar com precisão o alérgeno. Considerando o fato de que é muito difícil encontrar manteiga natural hoje, e a quantidade mínima de leite de vaca é adicionada, é altamente provável que as alergias não sejam causadas por uma proteína específica, mas por um conservante ou corante comum, pois muitos fabricantes adicionam essas substâncias a seus produtos. gosto, prolongando a vida de prateleira.

Depois que o alérgeno for identificado, podemos falar sobre medidas de tratamento e prevenção adicional. Se ainda é proteína do leite, então a partir da dieta do bebê terá que excluir não só a manteiga, mas todos os produtos que têm em sua composição o leite de vaca.

Não se preocupe com o fato de que o bebê nunca poderá usar esses produtos úteis. Na maioria das crianças, as alergias, em particular, a comida, desaparecem com o tempo. Portanto, muito provavelmente, após vários anos de teste alérgico repetido, será possível determinar que a tendência a reações alérgicas em um paciente pequeno não é mais observada. Enquanto isso, você deve seguir uma dieta. Não dê leite, manteiga e produtos ao bebê com o conteúdo deles.

Com relação ao tratamento medicamentoso, ele será realizado de acordo com um programa padrão. Se os sintomas das alergias não forem muito pronunciados, há uma chance de que, depois de eliminar o óleo da dieta, eles passem por conta própria. Mas, nos casos em que as manifestações da alergia na criança causarem desconforto significativo, você terá que usar medicação.

A primeira coisa que um médico irá prescrever é um medicamento anti-histamínico que ajuda a aliviar os sintomas de uma reação alérgica. Deve-se notar que drogas previamente usadas da primeira geração, com efeitos sedativos e hipnóticos. Eles também causaram um grande número de efeitos colaterais, porque deveriam ser aplicados sistematicamente. Mas hoje, mais e mais atenção é dada aos representantes da segunda e terceira geração, caracterizada pela ação prolongada, a mais segura para a saúde humana.

Uma enorme escolha de tais meios permite que você escolha o que se adapte a uma criança em particular. Isso pode ser Loratadine, Fenistil, Zodak, Zyrtec, Telfast ou Trexil. Ao tomar um medicamento prescrito por um médico, é necessário cumprir com a sua dosagem, porque também é capaz de provocar o desenvolvimento de alergias, especialmente em caso de overdose.

Se ocorrerem sintomas cutâneos, será prescrito um creme ou pomada não hormonal para eliminá-los. Tais meios são tão seguros quanto possível para crianças, praticamente não têm efeitos colaterais, eles podem ser usados ​​por um longo tempo. Mas, se a droga não foi muito eficaz, o médico irá recomendar um agente hormonal. que deve ser usado com extrema cautela.

As pomadas hormonais são viciantes, então você só pode usá-las por um curto período de tempo e cancelá-las gradualmente, diluindo com creme para bebês.

Se falamos sobre a prevenção de alergias ao óleo, é difícil escolher um método para eliminar completamente a probabilidade de sua ocorrência. Mas você pode aplicar medidas que reduzam significativamente o risco. Digite o óleo na dieta da criança deve estar em conformidade com as recomendações do pediatra, antes que isso não vale a pena. Ao escolher um produto, certifique-se de prestar atenção ao fabricante e à composição, bem como ao prazo de validade. Começar uma introdução à dieta do óleo deve ser com uma quantidade mínima.

Hoje em dia, tanto crianças quanto adultos estão se afastando cada vez mais de comer produtos naturais. A situação ecológica também não é satisfatória, especialmente nas grandes cidades. As consequências para a saúde de tudo isso são muito desagradáveis: uma alergia começa.

Uma reação alérgica é desencadeada pelo organismo devido à produção ativa de imunoglobulinas. Em outras palavras, é uma certa falha de imunidade, cujas conseqüências trazem desconforto e dor, pode causar problemas de saúde e sérios problemas de saúde.

Um dos produtos que causam alergias é o leite de vaca e caseína, alfa-lactalbumina e beta-lactoglobulina contidos nele. Eles são resistentes aos efeitos de altas e baixas temperaturas, proteínas que não são bem absorvidas pelo corpo humano. Ainda assim, a natureza fornece uma ótima absorção do leite de vaca, especialmente dos bezerros. Entre crianças e adultos, há muitos que são alérgicos ao leite. Quase metade dos bebês com menos de um ano tem uma reação semelhante.

Os produtos lácteos fermentados são alérgicos, em menor grau, devido ao fato de que as bactérias, em certa medida, processam as proteínas, permitindo-lhes digerir melhor. Mas a manteiga de leite fermentado não é, portanto, pode causar uma reação desagradável de diferentes propriedades.

As alergias à manteiga em bebês até um ano podem ocorrer em dois casos: uma reação ao leite da mãe, que foi comido por este produto, ou para ser administrado diretamente ao suplemento.

Em qualquer caso, a primeira coisa a fazer é remover o alérgeno da dieta. Se o bebê ainda não comer nada além do leite materno, a mãe deve se abster de laticínios.

Em primeiro lugar, a dieta deve ser rigorosa, isto é, é necessário excluir não só leite e manteiga, mas todos os produtos lácteos fermentados. Quando as manifestações externas de alergias passarem, você pode começar a comer um pouco de queijo cottage, kefir, iogurte, queijo. Leite e manteiga é melhor não comer, já que a alergia decorrente do descumprimento da dieta pode se transformar em um estágio mais rígido.

No caso de reação à manteiga, adicionada diretamente ao mingau da criança depois de seis meses, você deve recusar tal aditivo. Você pode substituir a azeitona alérgeno, colza, óleo de linhaça, óleo de noz, especialmente preparado para crianças. Tal produto pode ser encontrado em departamentos infantis de supermercados e lojas especializadas.

Infelizmente, o mercado doméstico de supermercado não pode se orgulhar de produtos de alta qualidade. Muitos e muitos produtos lácteos contêm uma porcentagem decente de gorduras vegetais, conservantes e açúcar. Alergia pode ser explicada pelo fato de que, em vez de mãe manteiga natural ou criança usar um falso de má qualidade. Isto é repleto de reações cutâneas, intestinais ou respiratórias, mas também o acúmulo de substâncias nocivas, toxinas e carcinógenos no corpo, e até mesmo a formação de tumores. Uma atenção cuidadosa à escolha dos produtos pode reduzir o risco de alergias e outras doenças causadas por alimentos.

A principal coisa que deve ser feita quando uma reação alérgica é encontrada em uma criança é consultar um médico. Um pediatra provavelmente recomendará fazer testes para vários alérgenos e identificar a causa desse problema. Além da dieta, você também precisará de um anti-histamínico, que ajudará o corpo do bebê a retornar ao normal mais rapidamente.

  1. Enterosorbents, como Enterosgel ou Polyphepanum, ajudarão a remover rapidamente alérgenos e toxinas do corpo.
  2. Tavegil, Zodak, Suprastin ou Fenistil irá remover vermelhidão e coceira - as manifestações mais desagradáveis ​​da alergia.
  3. Se a situação é negligenciada e os meios listados acima não ajudam, as pomadas hormonais, como a hidrocortisona, são usadas para os tegumentos. Aplique-os com cuidado e estritamente para o propósito do pediatra.

A alergia em bebês é, obviamente, um fenômeno desagradável, mas na maioria dos casos, passível de tratamento adequado. Você não deve ter medo de que seu filho tenha que se limitar toda a sua vida em certos produtos.

A maioria das crianças supera suas alergias. A coisa mais importante aqui é seguir a dieta até que todas as manifestações de indisposição sejam completamente extintas, e então introduzir produtos “perigosos” pouco a pouco, reagindo sensivelmente a todas as mudanças no bem-estar da criança. Depois de algum tempo, o corpo do bebê estará pronto para absorver uma variedade de alimentos, incluindo a proteína do leite de vaca e, portanto, a manteiga.

Uma dieta adequada para uma mãe que amamenta é essencial durante a amamentação. Antes de usar um novo produto, surge constantemente a questão de saber se é possível ingerir esse alimento e se ele prejudicará o bebê.

Pode doer muito. O corpo do bebê só se adapta a novas condições e muitas vezes percebe negativamente novos alimentos. O bebê tem alergias e cólicas durante a amamentação. E alguns produtos podem causar envenenamento ou até retardar o desenvolvimento da criança.

Com a introdução de novos produtos no menu de uma mãe que amamenta, é importante monitorar cuidadosamente o bem-estar do bebê. Se você ver uma violação da cadeira no bebê. erupção cutânea ou vermelhidão, indigestão, em seguida, comer novos alimentos deve ser interrompido por pelo menos um mês.

Os pediatras não carregam manteiga para alimentos proibidos durante a amamentação. No entanto, recomenda-se usar com cautela.

O óleo tem um número de propriedades benéficas, como o produto contém uma grande quantidade de vitaminas A, D e E, bem como fosfatidos e gorduras poliinsaturadas. Em pequenas quantidades, é necessário para o desenvolvimento completo, uma vez que desempenha várias funções importantes:

  • contribui para o crescimento normal e desenvolvimento de bebês,
  • fortalece o sistema imunológico
  • mantém a acuidade visual
  • melhora a condição da pele
  • fornece crescimento de cabelo
  • efeito benéfico sobre a composição do leite materno,
  • restaura o corpo depois de operações nos intestinos e estômago,
  • forma as paredes dos vasos sanguíneos
  • produz hormônios
  • normaliza a glândula tireóide,
  • limpa o corpo
  • protege contra o câncer.

A manteiga é facilmente digerida e digerida. Portanto, o produto em pequenas doses não causará cólica ou outra indigestão tanto na mãe quanto no bebê.

Mas o uso freqüente e em grandes quantidades levará a conseqüências negativas:

  • aumento de açúcar no sangue,
  • desenvolvimento de aterosclerose, doenças do coração e vasos sanguíneos,
  • ganho de peso e obesidade.

No entanto, se você cumprir a medida, a manteiga não é apenas possível, mas também consumida.

A manteiga é um produto rico e natural que é necessário para o bom desenvolvimento das crianças e a rápida recuperação da mãe após o parto. Claro, é cheio de perigo. O consumo excessivo do produto devido ao alto teor de colesterol aumenta o açúcar no sangue e aumenta o peso. No entanto, se você seguir a dosagem e as regras de uso, só será beneficiado.

A dose máxima de uso é de 10 a 30 gramas por dia.

Você pode adicionar óleo em pratos de legumes ou cereais. Acompanha bem o óleo de milheto, batatas e massas. Saborosa e nutritiva para uma mãe que amamenta será um sanduíche com manteiga. O pão é melhor tomar variedades de grãos grosseiros. Ao amamentar pão útil com farelo, centeio e pão de trigo.

Muitos estão acostumados a usar manteiga para fritar. É melhor recusar. Massas, batatas, legumes ou frango, fritos desta maneira, serão muito gordurosos e altamente calóricos. Isso afetará negativamente o peso da mãe e o funcionamento dos intestinos da criança. Mas em uma massa cozida ou batatas, você pode adicionar um pequeno pedaço de manteiga.

Nos primeiros 3-4 meses de vida do bebê, os alimentos gordurosos fritos devem ser eliminados da dieta. Prefira legumes cozidos e carne cozida. Ensopado de produtos vegetais, azeite, gergelim ou óleo de linhaça. Que tipo de legumes você pode comer mãe que amamenta, descobrir no artigo "Legumes quando a amamentação".

Manteiga quando a amamentação pode ser consumida. No entanto, lembre-se da dosagem!

Fontes: ainda não!

Alergias alimentares são uma doença comum entre as crianças. Afinal, o corpo das crianças só se acostuma com as novas condições de vida e nem sempre aceita novos produtos. Curiosamente, nas primeiras duas ou três semanas quase todo bebê tem manchas vermelhas no rosto. A erupção se manifesta devido aos hormônios da mãe, que o bebê recebe no útero. No entanto, tal alergia desaparece no primeiro mês após o nascimento e não requer tratamento.

Alergias alimentares são de natureza diferente e se manifestam não apenas na forma de uma erupção cutânea. Esta reação deve ser tratada com uma dieta especial, em casos raros - com a ajuda de drogas. No entanto, lembre-se que apenas um médico pode prescrever medicamentos! A automedicação apenas agrava o problema e leva a complicações!

Para reconhecer alergias alimentares, você precisa saber o que parece. Os sintomas podem ser divididos em três grupos, cada um com certos sinais.

Causas e sintomas

Uma reação alérgica ao usar a manteiga surge das proteínas resistentes ao calor contidas na sua composição - alfa-lactalbumina, caseína e beta-lactoglobulina. Estas substâncias estão contidas no leite, mantêm suas propriedades após o processamento e são alérgenos fortes.

Isto significa que uma criança com essa intolerância não pode comer outros produtos lácteos - queijo, queijo cottage, kefir, leite. Além disso, um bebê pode ter uma reação à manteiga, mesmo que uma mãe que amamenta tenha comido. Em seguida, o alérgeno entra no corpo através do leite materno.

Os sintomas de intolerância a este produto ocorrem em lactentes por várias horas após a alimentação.

Em vários graus de gravidade, uma criança pode apresentar os seguintes sintomas:

  • distúrbio do sono e ansiedade geral,
  • distúrbios de fezes - diarréia ou, inversamente, constipação,
  • regurgitação frequente e abundante
  • indigestão geral, flatulência, dor abdominal ou cólica,
  • a formação de vermelhidão e erupção no corpo da criança, acompanhada de coceira.

A intensidade dos sintomas depende de vários fatores - a idade da criança, a quantidade e a qualidade do alérgeno ingerido. Em alguns casos, pode ocorrer uma reação alérgica a outros aditivos contidos na manteiga, especialmente se for um produto barato.

Além do fato de que as alergias são ruins para a saúde do bebê, existe o perigo de desidratação do corpo e lixiviação de substâncias úteis - são conseqüências da regurgitação freqüente e da desordem das fezes.

É importante! Se estes sintomas não desaparecerem dentro de algumas horas ou se agravarem, a criança precisa de cuidados médicos urgentes!

A cólica acompanha-se da dor aguda e leva ao sono agitado. Portanto, se você suspeitar de uma alergia em uma criança, você definitivamente deve descobrir sua causa e iniciar o tratamento.

As erupções cutâneas na pele não são perigosas para a saúde, mas tal manifestação de alergia pela manteiga dá à criança um desconforto perceptível. Um exemplo dessa reação pode ser visto na foto acima.

Tratamento e Prevenção

Antes de tratar alergias à manteiga, é imperativo estabelecer que este é o alérgeno, e não algum outro produto. Существуют различные анализы, позволяющие точно установить аллерген.

Другой способ определить, на что у грудничка аллергическая реакция – строгий контроль его рациона и питания кормящей матери. Из меню на время убирается определённый продукт, и ведутся наблюдения за реакцией.

É importante! A melhor maneira de descobrir o que causa alergias em uma criança é manter um diário alimentar e introduzir alimentos adicionais gradualmente, não mais que um novo produto por semana.

Depois que o alérgeno foi estabelecido, o médico prescreve o tratamento para a criança. Se você é alérgico a manteiga, a primeira e mais importante medida para melhorar a condição de uma criança é a completa eliminação do produto da dieta.

Se alergias são causadas por proteínas encontradas no leite, todos os outros produtos lácteos também são excluídos do menu. Ao mesmo tempo, você deve estudar cuidadosamente a composição dos produtos acabados, porque a manteiga e o leite são frequentemente incluídos na composição de purês infantis, biscoitos e sobremesas.

O tratamento medicamentoso é realizado nos casos em que a alergia é pronunciada, e a melhora após a exclusão do alérgeno do cardápio vem lentamente. Geralmente consiste em tomar anti-histamínicos e outras drogas para aliviar os sintomas.

Droga anti-histamínica específica seleciona o médico, com base na condição e características da criança.

Estes podem ser:

É importante! Ao tomar anti-histamínicos, você deve cumprir com a dose prescrita e o regime do medicamento. Em caso de sobredosagem, efeitos colaterais são possíveis.

Para o tratamento da erupção alérgica na pele, aplique pomadas e cremes. Os unguentos contêm mais substâncias ativas e são aplicados pontualmente. Os cremes têm uma textura mais clara e podem ser aplicados em grandes áreas do corpo.

Quase todas essas alergias são hormonais, por isso devem ser usadas com muito cuidado. Para o tratamento de lactentes, um medicamento não hormonal é geralmente selecionado e substituído apenas se não houver efeito.

As pomadas mais comuns para tratar alergias em bebês:

É importante! Ao tratar alergias em crianças, é impossível se automedicar - isso é extremamente arriscado e pode levar a sérias consequências.

Se necessário, medicamentos para constipação, diarréia, cólica e outros sintomas são adicionados ao tratamento:

  1. Velas Glitselaks e xarope Duphalac - da constipação.
  2. Pare Diar, Nifuroksazid - de diarréia.
  3. Gotas Bobotik, Espumizan - com cólica.

Para bebês com alergias, novos produtos são introduzidos nos suplementos com extrema cautela e inicialmente em pequenas doses. Preferência é melhor dar purê vegetal hipoalergênico. A manteiga pode substituir-se com o vegetal ou a azeitona - será até mais útil.

Conclusão

Apesar do fato que alergias a manteiga - um fenômeno desagradável, é facilmente tratável. O principal é seguir uma dieta até que todos os sintomas desapareçam e subseqüentemente. Depois de um tempo, você pode inserir o produto no menu com muito cuidado, observando o bem-estar da criança.

Mesmo que o bebê tenha manifestado intolerância, isso não significa que ele persistirá por toda a vida. A maioria das crianças tem alergias alimentares diferentes com a idade.

Por que existe uma alergia ao queijo e por que é perigoso?

Cada produto tem seu próprio conjunto de propriedades úteis. Se você fizer uma dieta baseada em alimentos naturais saudáveis, a saúde, o vigor e a boa aparência serão fornecidos. Mas nem tudo é tão simples. (Tchau ...

Bom conselho

Um sintoma comum de muitas doenças é a hipertermia grave. Um aumento na temperatura corporal é uma situação perigosa que pode levar a conseqüências desastrosas. Isso significa que o paciente é obrigado a receber medicamentos antipiréticos. (Sem avaliações ainda) Loading ... ...

O ácido nicotínico foi descoberto no século XIX, mas começou a ser usado no tratamento de doenças em meados do século XX. Agora, a niacina é usada no tratamento de uma variedade de doenças neurológicas. Como qualquer médico ...

Diaskintest é uma alternativa ao teste de manta. Ele é prescrito se houver contra-indicações para manta, ou não é possível estabelecer o diagnóstico com precisão. Alergia à droga raramente acontece, mas pode ser difícil e com consequências ....

Os benefícios do óleo para crianças

- Tem um delicioso sabor cremoso ou específico, dependendo da planta.

- Fonte de gordura, ácidos graxos saturados e insaturados e colesterol.

- Contém vitaminas lipossolúveis A, D, E, K.

- Ajuda a absorção de vitaminas lipossolúveis.

- Contém fitoesteróis, que reduzem a capacidade de absorção do colesterol.

- Contém fosfolipídios (lecitina).

Composição de Óleos

A manteiga é um dos alimentos mais calóricos. A manteiga tem cerca de 748 kcal por 100 ge óleos vegetais têm 898-899 kcal. Adicionar até mesmo uma pequena quantidade de óleo aos alimentos aumenta significativamente o valor energético de todo o prato.

Todos os óleos, tanto animais como vegetais, contêm gorduras que são necessárias para o desenvolvimento do corpo de uma criança. A manteiga contém 82,5% de gordura e óleos vegetais 99,9%. As gorduras vegetais são mais fáceis e melhor absorvidas do que os animais, por isso são consideradas mais benéficas. Além disso, eles contêm ácidos graxos insaturados, que reduzem o colesterol "ruim" e a glicose no sangue e estimulam o sistema imunológico.

Um teor de gordura tão alto não permite o uso de óleo em grandes quantidades, pois isso pode causar problemas de digestão. Crianças e adultos só podem adicionar um pouco de óleo às refeições prontas para lhes dar sabor e cheiro.

Os óleos contêm aminoácidos graxos essenciais ômega-3 e ômega-6, nós os obtemos somente com alimentos, nosso corpo não pode sintetizá-los. Eles são abundantes em óleo de peixe, então o óleo de peixe é um suplemento dietético útil para crianças. Ácidos graxos essenciais estão presentes em todas as fórmulas infantis.

Ácidos graxos essenciais são necessários para o crescimento da criança, o desenvolvimento normal do sistema nervoso, melhorar a visão e condição da pele.

O ômega-6 é mais comum em alimentos que o ômega-3, embora o corpo precise de mais ômega-3 do que o ômega-6. A maioria dos óleos ômega-3 é encontrada no óleo de linhaça.

As gorduras contidas nos óleos promovem a absorção de vitaminas lipossolúveis encontradas em vegetais, frutas, ervas e cereais, especialmente o caroteno (vitamina A). Em saladas de vegetais e frutas, bem como mingau deve adicionar óleo.

Fosfolipídeos

Os fosfolipídios são lipídios complexos que contêm ácido fosfórico e algum outro grupo de átomos. Os fosfolipídios são parte das membranas de todas as células, incluindo o cérebro. Óleos vegetais são uma das fontes de fosfolipídios. Nos óleos, os fosfolipídios são representados pela lecitina.

As proteínas estão presentes apenas na manteiga e depois em pequena quantidade. Em óleos vegetais eles não são de todo.

As vitaminas D e A lipossolúveis são encontradas apenas na manteiga, pois são de origem animal e, em óleos vegetais, não são. Apenas o óleo de palma vermelho contém vitamina A.

A vitamina E solúvel em gordura está presente em grandes quantidades em todos os óleos vegetais. A maior parte é em óleo de girassol. A vitamina K também está presente no óleo de girassol.

Fitoesteróis

Os fitoesteróis contidos nos óleos vegetais, reduzem a capacidade de absorção do colesterol "ruim" no intestino, têm efeito anti-carcinogênico e estabilizam as membranas celulares. A maioria está em óleo de milho e também está presente em quantidades significativas em soja e azeites.

Considere com mais detalhes a composição da manteiga e vários óleos vegetais por 100 g de produto na tabela.

Com que idade você pode dar óleo para uma criança?

O óleo como suplemento é introduzido na dieta de um bebê após 6 meses. Manteiga pode ser dada se a criança não é alérgica a proteína de vaca. Os óleos vegetais podem conter traços da proteína dos cereais de que são feitos, portanto, a alergia às culturas de cereais deve ser levada em conta.

Quanto petróleo pode ser dado à criança?

O óleo é adicionado aos suplementos a 5 gramas por 100 gramas do prato acabado, não é aconselhável aquecer o óleo, pois as vitaminas vão quebrar. Manteiga é melhor para adicionar aos cereais e óleo vegetal em purê de legumes. Que tipo de óleo para começar a alimentar é com você, isso é uma questão de gosto. Os óleos vegetais são mais nutritivos, mas são mais bem absorvidos que a manteiga.

Considere a quantidade de todos os óleos que você adiciona aos pratos e use ao cozinhar.

Manteiga para crianças

A manteiga pode dar-se a crianças como alimentos complementares depois de 6 meses, mas normalmente acrescenta-se a cereais, e os cereais introduzem-se depois do purê vegetal em algum lugar durante 7-8 meses na amamentação e 5-6 meses no artificial.

A manteiga contém uma quantidade suficiente de vitaminas A e D, mas inferior aos óleos vegetais no conteúdo de vitamina E.

A manteiga contém ácidos butírico e linolênico, que têm um efeito anticarcinogênico, o ácido láurico tem efeitos antifúngicos e antimicrobianos, e a lecitina reduz o nível de colesterol "ruim" no sangue.
De acordo com as recomendações da OMS, é necessário limitar as gorduras animais na dieta das crianças, uma vez que elas contêm uma grande quantidade de gorduras saturadas. Mas estudos recentes mostraram que as gorduras saturadas não apenas aumentam o conteúdo do colesterol "ruim", que é depositado nos vasos, mas também o "bem" necessário para destruir o "mal". Eles não contribuem para o ganho de peso em contraste com os carboidratos. Portanto, eles são úteis para o corpo, mas em quantidades limitadas.

A manteiga pode ser considerada real se for feita apenas com creme de leite. Se as gorduras vegetais são adicionadas à manteiga, isso não é uma manteiga, mas um spread. Alguns produtores de petróleo russos enganam os clientes chamando seus produtos de manteiga, mas acrescentando óleos vegetais lá.

As normas europeias são mais rigorosas - para elas, a manteiga deve conter apenas gordura do leite numa quantidade de pelo menos 80%. De acordo com os padrões russos, a manteiga pode ter um teor de gordura de pelo menos 70% e pode conter gorduras vegetais, cores e sabores.

De acordo com a classificação compilada pela Roskachestvo sobre manteiga tradicional com teor de gordura de 82,5%,As seguintes marcas de manteiga são consideradas as melhores:

- manteiga creme sem sal "Brest-Litovsk", produtora de JSC "Savushkin Product" Bielorrússia.

- Sem manteiga de creme doce Savushkin produzido pela Savushkin Product OJSC na Bielorrússia.

- Tradicional manteiga "Ruzskoe" produtor de JSC "Ruzskoe Milk" Rússia.

- Manteiga "Tradicional" Farm - LLC "TULCHINKA.RU" Rússia.

- Manteiga Lattesco "Tradicional" - PARCERIA NA FÉ "QUEIJO STARODUBSKY" Rússia.

- Manteiga tradicional, tradições de Vologda - OAO Ankovskoye Rússia.

- Óleo tradicional creme doce sem sal "Asenevskaya fazenda" produzido pela Cooperativa de Produção Agrícola LLC "Agricultura artel (fazenda coletiva) Moscou" Rússia.

- A manteiga “Prostokvashino” é fabricada pela JSC “DANONE RUSSIA” Rússia.

- Manteiga sem sal cremosa e doce “Ecomilk” produzida pela Ozeretsky Dairy Plant CJSC Russia.

Óleo de girassol para crianças

O óleo de girassol está em todas as mercearias. Óleo de girassol para crianças pode ser dado com pratos de legumes, é possível cozinhar panquecas e outros produtos sobre ele. O óleo de girassol está à frente de todos os óleos vegetais no conteúdo da vitamina E, especialmente seus muitos no óleo da extração direta. A vitamina E é um poderoso antioxidante e é necessária para o crescimento do bebê.

Também no óleo de girassol contém vitamina K, regulando a coagulação do sangue.
Apenas o óleo de esgoto está à frente do girassol no teor de ácidos graxos poliinsaturados. Algures 45-60% é o ácido linoléico (ômega-6), 1% de ácido linolênico (ômega-3) e 25-40% de ácido oleico (ômega-9).

O óleo de girassol prensado diretamente deve ser enchido com pratos prontos, e no refinado você pode fritar e refogar.

Olive Few Kids

O azeite é o segundo mais popular depois do girassol. Alguns consideram mais útil que o óleo de girassol, mas isso não é inteiramente verdade, já que contém menos ácidos graxos poliinsaturados e vitamina E.

Mas no azeite de oliva há ácidos graxos monoinsaturados: oleico (ômega-9) e ácido palmitoleico (ômega-7), embora esses ácidos possam ser sintetizados em nosso corpo, mas são muito importantes para a saúde.

O conteúdo de ácido oleico (ômega-9) - cerca de 60-85% - azeite é superior a todos os outros óleos. Este ácido reduz a concentração de colesterol e glicose no sangue, aumenta a sensibilidade das células à insulina, tem um efeito preventivo contra o câncer.

O ácido palmitoleico fortalece o sistema imunológico.
O azeite de oliva contém muito pouco ômega-3 e ômega-6, e podemos obtê-lo apenas com comida.

Óleo de linhaça para crianças

O óleo de Lyanoe é o óleo mais útil para as crianças, pois contém mais ômega-3 (ácido alfa-linolênico) - cerca de 55%, e também contém muito ômega-6 (ácido linoléico) - cerca de 20-30% e ômega -9 (ido oleico) - cerca de 15-30%. Ele contém muito mais ácidos graxos poliinsaturados, cerca de 67,5%, do que no azeite de oliva.

Mas você não pode fritar alimentos em óleo magro, pois há uma grande quantidade de ácidos graxos livres nele. Mas para recarregar refeições prontas e saladas, isso se encaixa perfeitamente.
A desvantagem do óleo de baleia é que ele pode ser armazenado por no máximo 12 meses e deve ser refrigerado para que a oxidação das gorduras não ocorra tão rapidamente.

Óleo de milho para crianças

No teor de ácidos graxos insaturados, o óleo de milho é inferior ao girassol e à lyalnoy. Apenas os óleos de girassol, palma e canola estão à frente do teor de milho da vitamina E. Mas o óleo de milho excede significativamente o azeite nesses indicadores.

A principal vantagem do óleo de milho é o teor do maior número de fitoesteróis e o fato de ser muito resistente ao calor (não perde suas propriedades benéficas).
Em óleo de milho melhor fritar comida.

Óleo de soja para crianças

Óleo de soja - um dos óleos mais comuns e baratos, que é usado em todo o mundo. O óleo de soja é considerado a principal fonte de fosfolipídios (lecitina) - uma substância da qual todas as membranas celulares são construídas.

A composição do óleo de soja é próxima ao girassol, mas ganha no conteúdo de ômega-3, mas inferior no conteúdo de vitamina E.

O óleo de soja é adicionado à fórmula infantil, cereais, vegetais e purês de carne e vários produtos alimentícios. Existem até mesmo misturas de soja que são dadas a uma criança com alergia à proteína da vaca. O óleo de soja é inofensivo para a criança e até mesmo benéfico.

Óleo de palma para crianças

Ele supera todos os óleos no conteúdo de ácidos graxos saturados, como dissemos acima, eles não são prejudiciais à saúde, mas os insaturados são mais benéficos.

O óleo de palma vermelho é o líder em conteúdo de vitamina A e é considerado uma de suas primeiras fontes na dieta.

No teor de vitamina E, o óleo de palma é inferior apenas ao óleo de girassol e ao mesmo tempo não contém tocoferol, mas tocotrienol, uma substância necessária para o desenvolvimento do corpo.

O óleo de palma é adicionado à fórmula infantil, pois ajuda a levar a mistura de gordura ao leite materno o mais próximo possível. Cada vez mais, não é adicionado óleo de palma à mistura, mas seus derivados - oleína de palma ou oleína "super". Eles não causam efeitos negativos do óleo de palma e retêm todas as propriedades positivas. Você pode ler mais sobre o óleo de palma no artigo: “Misturas sem óleo de palma”.

Óleo de colza para crianças

O óleo de colza contém ácido erúcico (ácido graxo monoinsaturado ômega-9), que não é bom para a saúde, já que é ruim para o coração e vasos sanguíneos em grandes concentrações. Colza de canola contém a quantidade mínima deste ácido (2%) e, portanto, este óleo de colza não é prejudicial para a saúde e pode ser usado para fins alimentares.

Na Rússia, o óleo de colza com um teor de ácido erúcico inferior a 5% é permitido para a produção de alimentos. É adicionado à fórmula infantil, cereais, purê de bebê, biscoitos e outros doces.

Em óleo de colza muita vitamina E.

O óleo de colza é rico em ômega-3 (ácido linolênico) e é apenas ligeiramente inferior em concentração ao óleo de esgoto. E o conteúdo de ômega-9 (ácido oléico) perde apenas para o azeite. No óleo de colza existe a melhor proporção de ômega-3 a ômega-6 - 1 a 2.

Óleo de coco para crianças

O óleo de coco excede significativamente todos os óleos no conteúdo de ácidos graxos saturados e, portanto, não é recomendado para alimentos para bebês como um aditivo alimentar para as refeições. Mas às vezes é usado na fórmula infantil como fonte de ácidos graxos saturados, necessários para o desenvolvimento harmonioso da criança. O óleo de coco contém cálcio.

Qual óleo é melhor para uma criança?

Todos os óleos têm seus prós e contras. Na dieta da criança, é melhor combinar o uso de manteiga com vegetais. A manteiga é rica em aminoácidos substituíveis e essenciais, vitaminas A e D, minerais. Os óleos vegetais contêm grandes quantidades de ômega-3 e ômega-6.

Entre os óleos vegetais, o óleo de porão é o melhor em composição química, mas não pode ser frito, o óleo de milho é mais adequado para fritar, enquanto o óleo de girassol será universal e útil ao mesmo tempo.

Para fritar, é melhor usar óleo refinado, mas contém apenas gorduras, não contém fosfolipídios, ácidos graxos livres, ceras, proteínas, carboidratos, hidrocarbonetos. А также следует учитывать кислотное число, которое вы можете посмотреть в таблице выше, оно указывает на количество свободных жирных кислот, которые при нагревании окисляются и становятся вредными для здоровья кацерогенами. Самое маленькое число у рафинированных масел, они лучше всего подходят для жарки. Из таблицы мы видим, что лучше всего жарить на кукурузном и подсолнечном масле, а льняное масло для этого не годится.

Soja, colza, coco e óleo de palma você provavelmente não dará à criança por causa da má opinião sobre eles, em parte verdadeira, em parte não. Por exemplo, o óleo de soja é inofensivo e pode ser dado a uma criança, mas pode haver problemas com o resto.

Alergia à manteiga em crianças

A alergia ao petróleo é bastante rara. Mas como todos os óleos são feitos de alimentos ricos em proteína, seja leite de vaca ou cereais, os óleos podem conter vestígios de proteína e, para o início das alergias, apenas uma quantidade muito pequena de alérgenos é necessária. Portanto, para crianças com uma reação alérgica na história da proteína de vaca ou um dos cereais, é indesejável dar óleo feito a partir deles. É possível, quando alérgico ao milho, dar a um filho óleo de barking ou óleo de girassol.

Pin
Send
Share
Send
Send